TopoImprimirEsta páginaOutra página
2000

FÁBIO OLIVEIRA NUNES







Livros
Artigos científicos
Artigos jornalísticos


 

Sites narrativos de web arte

Fabio Oliveira Nunes (Fabio FON)

 

Nota da atualização realizada em 2005: no ano de realização desta pesquisa, 2000, a denominação de sites “narrativos” encaixou-se provisoriamente para determinar uma vertente da produção de web arte em que o trabalho se desvencilha de um objeto fisicamente presente (ou seja, não é puramente referencial) e que ao mesmo tempo, abriga algumas das especificidades da rede, mantendo, ainda, um “link” com outras linguagens. Em contraste com a incipiente produção na época (quando alguns trabalhos tendiam para uma leitura mais narrativa), hoje, podemos enxergar essa produção mais próxima do conceito de Tradução Intersemiótica de Roman Jakobson (tão bem desenvolvido por Julio Plaza em seu livro homônimo), onde há uma metacriação na migração do trabalho entre distintas linguagens.

Ao artista contemporâneo pode ser dado um diferencial importante quando comparado com os artistas de períodos anteriores: a grande diversidade de técnicas possíveis, viáveis e acessíveis para serem utilizadas na etapa de realização de seu trabalho. Com essa afirmação não estamos abordando somente a figura do artista multimídia - aquele que conhece e trabalha com muitos meios distintos simultaneamente - e sim, demostrando o grande leque de possibilidades de técnicas e suportes que estão a disposição, hoje.
Se um hipotético artista, possui um conceito prévio a ser desenvolvido em sua poética, terá a sua escolha um gigantesco número de técnicas, suportes e linguagens indo das mais antigas como a pintura, o desenho, a gravura, passando pelas intermediárias, como o objeto, o vídeo e a instalação até as mais recentes como a computação gráfica e, claro, a Web Arte. Cada uma delas possui características próprias distintas e uma semântica já constituída ou em constituição, no caso das mais recentes. Destituídos os motivos pessoais de escolhas de cada um, todas elas são igualmente disponíveis e viáveis para a execução e apreciação de um trabalho de arte, bastando simplesmente escolher qual técnica melhor traduz o conceito preconcebido. Aqui, a Web Arte é só mais uma entre muitas outras técnicas e suportes e para este artista imaginário, o conceito que antecede a criação do trabalho, não aborda exatamente o suporte a ser utilizado embora se aproprie e utilize de suas possibilidades.

Os sites narrativos de Web Arte são trabalhos que não colocam o suporte do ciberespaço como a figura central de sua discussão: o objeto da poética irá além dos limites do meio eletrônico digital. Poderá ser um trabalho que aborde uma situação, um sentimento, um grupo de pessoas, uma idéia ou qualquer outro elemento do "mundo real" mas que em todos os casos terá sua temática desvinculada da rede embora usufrua das possibilidades - e problemas - que o meio digital dispõe.

Oriundos do design - A mostra capixaba de Web Arte YwebArte, trata-se de uma iniciativa do site Capixaba ON (http://www.capixabaon.com.br - off-line em 2005) que reuniu vários nomes das artes e do design do Espírito Santo. Alguns trabalhos possuem uma forte influência do design impresso, podendo ser facilmente transcritos para o papel. Entre os vários trabalhos dispostos - são 12 de diferentes artistas - está a criação do artista Astrubal, "Oral", onde demostra as possibilidades de ação de uma boca virtual. Visitado em 17 de Junho de 2000. Em 2005, a exposição pode ser acessada em http://www.taru.art.br .


Por outro lado, os sites narrativos de Web Arte também poderão ser originários de experimentações em outros meios como a pintura, a literatura, o cinema, os quadrinhos, a fotografia ou o vídeo e por conta disso, possuirão características distintas entre eles. Aliás, na maioria dos casos isso ocorre inconscientemente: grande parte dos criadores de arte na rede, migraram de outros meios e linguagens para a Internet. Logo, os seus parâmetros mais profundos de criação podem estar baseados no meio e linguagens anteriores. O site brasileiro "YwebArte", criação de 1998 do portal "Capixaba ON" , que disponibiliza trabalhos de doze artistas capixabas, pode ser considerado um exemplo de importação de linguagens para a Web. Atualmente, "YwebArte" é uma das poucas mostras brasileiras de Web Arte na Internet e possui na maioria das criações de seus participantes, muitas influências do design impresso. O tratamento cuidadoso da imagem, ausência de efeitos sonoros, o uso de uma arquitetura de navegação linear e ausência de links com outros sites podem vir a ser indícios de que os parâmetros de criação utilizados transcendem a rede. Além disso, em trabalhos de artistas como Flávia Carvalhinho e Tânia Calazans, poderemos chegar a conclusão de que caso fossem impressos, resultariam em experiências muitos semelhantes ao resultado disponível na Internet.

Outro exemplo de site narrativo de Web Arte com origens em outro meio é "A leer - Antologia Labiríntica", criado em 1997 pelo brasileiro André Valias. O artista parte de poesias, contos e textos poéticos de diversas línguas, alguns deles muito conhecidos - Edgar Alan Poe, Sócrates, Sousândrade e outros - e estabelece uma navegação labiríntica estruturada em rede: é um site com alto quociente de navegação interna, possuindo muitos links ocultos e imagens clicáveis sem um limiar visível. Os textos existentes não são simplesmente transcritos: são na verdade trabalhos artísticos produzidos especialmente para a Internet e que mostram preocupações visuais e sonoras que vão muito além do verbal e da passividade da leitura linear; em determinada parte do site, o visitante poderá participar de uma produção coletiva de um texto, bastando escrever a sua contribuição.

Assim, os sites narrativos de Web Arte terão como elemento principal, o desenvolvimento de um discurso narrativo que existe independentemente da rede mas que utiliza-se da estrutura, das possibilidades e do repertório do usuário deste meio para disseminar suas discussões em caráter planetário. É certo que em alguns casos, o limiar entre as metáforas da metalinguagem e elementos de um discurso distante do suporte, poderá se tornar muito tênue e subjetivo como o trabalho Sanctu dos brasileiros Thiago Boud'hors e Celso Reeks.


Sanctu: entre a narrativa e a metalinguagem


Em 1997, a Casa das Rosas, em São Paulo, dentro de uma programação variada de eventos de arte e novos meios - de instalações a performances - realizou o primeiro concurso brasileiro de Web Arte que se tem notícia no país. Entre os vencedores daquele concurso, em primeiro lugar escolheu-se o já conhecido site holandês Jodi , que sem dúvida nenhuma era um dos mais originais e conhecidos participantes daquele evento. Em segundo lugar, uma grande surpresa: o site vencedor era uma desconhecida produção brasileira, "Lands Beyond" dos web artistas Celso Reeks e Thiago Boud'hours, um site com muitas semelhanças com o vencedor Jodi, mas com dois diferenciais principais: as citações despretensiosas de textos literários, que levam a uma leitura que vai além da estetização nonsense e as preocupações de significados com o uso da cor nas páginas do site. Dos mesmos criadores de "Lands Beyond", temos outro trabalho que também merece atenção pela sua situação limítrofe entre as referências do meio digital e o discurso relativamente independente da rede.

Este texto é parte integrante do Trabalho de Conclusão do Curso de Bacharelado em Artes Plásticas “Web Arte no Brasil: A arte telemática criada por artistas brasileiros para a Internet”, realizado sob a orientação do Prof. Dr. Milton Sogabe na UNESP – Universidade Estadual Paulista. Esta pesquisa em nível Iniciação Científica contou com o apoio da FAPESP.
© Fábio Oliveira Nunes: entre em contato.

início